ASSÉDIO MORAL NO JUDICIÁRIO. ESSA PRAGA NÃO TEM FIM.

ASSÉDIO MORAL NO JUDICIÁRIO. ESSA PRAGA NÃO TEM FIM.

Nesta semana a Diretoria da AESC representou pessoalmente ao Desembargador Corregedor e Juiz Corregedor, várias denúncias de ´assédio moral` praticados por Magistrados em nosso Estado.

Os relatos, devidamente comprovados, demonstram o despreparo de alguns Magistrados e a necessidade de enfrentamento contra esses abusos através de denúncias e participação efetiva de todos, buscando a punição por esse tipo de desumana conduta.

De nada adianta panfletagem, propagandas e informações vazias e genéricas, as Entidades Representativas de Classe devem agir diretamente em defesa dos Servidores que se tornam alvos e impotentes, buscando a defesa, representação e assumindo a parte ativa e não deixar o servidor sob os abusos autoritários, inclusive com nota de desagravo como já fizemos ao Magistrado de Joinville.

https://bit.ly/2TRiI1q

Estamos atentos, denuncie, não se omita, nos comunique e tomaremos todas as providências contra esses abusos, ressaltando que os locais das denúncias, para preservar os envolvidos, serão divulgados quando forem concluídos os procedimentos, afirmou Mauri, Presidente da AESC

Administrador

1 comentário até agora

Alencar Ziesemer Publicado em16:55 - 21 de março de 2019

O servidor que se preza, esbanjando competência e capacitância não se humilha. A lei complementar #35 está aí para ser cobrada. É questão apenas de se impor. Ato este q não se vislumbra em 99% dos servidores, verdadeiras vaquinhas de presépio. Agora, morrendo de medo de juízes e endeusando-os…